Deus nos acuda

Ontem, ao ver a minha filha de pé agarrada à mesa com uma mão e com o Supremo Comando da Televisão na outra mão erguida bem alto acima da sua cabeçorra desgrenhada, pareceu-me ouvir o tema épico do 2001 Odisseia no Espaço (assim falava Zaratustra – Strauss). Na sua pose, prestes a desferir um golpe com o Comando, e com um resto de banana colado ao top rosa, as semelhanças com o macaco que usa o osso como arma no filme eram evidentes. A minha filha observava-me, desafiante: “sim ó mortal, tenho o Supremo Comando na mão, vê como desafio a tua autoridade! Pensas que meras palavras como “não, Júlia, não, o comando da tv não!” me podem conter? Nada me pode par… AAHHHHHH *paf* (ela ainda se desequilibra muitas vezes)
Ajudei-a a levantar-se para que parasse de chorar de frustração. É de frustração que eles choram quando tombam e não de dor ou de susto. Esta frustração diz tudo sobe o mindset de uma criança de 1 ano. Eles querem dominar o mundo. Quando o facto de não se aguentarem muito bem em pé se intromete entre eles e os planos de dominação global, vem a frustração e o choro.
É muito divertido ver uma criança de 1 ano a brincar e a interagir com o mundo e com os outros, cheia de energia e assertividade. Mas há uma fronteira. Há um momento em que a exibição de habilidades físicas e vocais recém-adquiridas deixa de ser entretenimento para passar a ser uma ameaça de força. É algo tribal, palmadas enérgicas nas coisas, saltos a demonstrar como as pernas rechonchudas vão um dia poder projectá-la pelos ares até atingir o Supremo iPhone em cima da mesa, tudo acompanhado por uma língua estranha alienígena e com pausas para observar o efeito nos pais: BLAH BALA MAH OHH! *PAF*… ? UUUHHHHH!!!! MALABALA MO OHHH! *BANG BANG BANG*…?

“Baby needs to be in control now” leio no Brazelton. Os outros livros e artigos sobre como controlar e sobreviver a bebés também insitem neste ponto. O problema é que isto nos deixa reféns , com muito pouca margem de manobra. Se demonstramos ao nosso bebé que temos um ponto sensível e somos provocados por um determinado comportamento como cuspir a sopa ou ele bater-nos violentamente com o Supremo Comando da Televisão na cana do nariz e ficarmos prostrados no sofá e a mãe entrar na sala e não perceber porque o pai está dobrado sobre si mesmo ao lado de uma bebé fofinha e sorridente, o bebé vai usar e abusar dessa arma. Se um bebé descobre que recusar comida deixa a mãe desesperada e enervada, o bebé está disposto a viver esfomeado apenas pelo prazer de ver a mãe tresloucada a tentar dar-lhe de comer. Um bebé está para a guerra psicológica como um mujahidin para as montanhas do deserto: don’t mess with them. Vão perder. Por outro lado, também não queremos que o ponto alto da vida dos nossos filhos seja serem um Dux numa universidade privada que atinge a fama por matar os filhos dos outros e ainda por cima se safa. Queremos formar um cidadão responsável e a disciplina, o respeito, são indispensáveis. É preciso mostrar que há limites, regras e barreiras, masmantendo sempre uma espécie de detachement blasée, nunca demonstrando que estamos afectados e enervados:
‘Obrigado, cara filha, por me cuspires a sopa de espinafres para a cara. É realmente muito saborosa. Contudo, sabes que esse comportamento não se coaduna com o que se pretende de uma refeição, pelo que vamos dar por terminad… obrigado, este meu lado da cara ainda não tinha sopa, nem esta parede da sala”

Anúncios

One thought on “Deus nos acuda

  1. Muito bons, o relato e as considerações.

    Não esquecer que as crianças são muito boas a detectar estados emocionais nos adultos. E a reagir a eles.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s