combater o preconceito

romeamericanflag1
Um rapper de cor, sem correntes de ouro, sem estar a conduzir carros desportivos, sem estar a falar de que é muita bom e que come-as todas, sem uma dúzia de rabos (há um ou dois) de pretas a abanar… prova de que quando eles querem, podem fazer música do mesmo nível dos brancos, mas ao jeito deles, que é ancestral, milenar, mais velho que os nossos cantos gregorianos daquele disco dos Enigma, raízes de quando batiam com os ossos na pele de mamute lá na savana enquanto o trineto de Bach já fazia flautas transversais com ossos de pterodáctilo. Ainda por cima o video é mesmo muito bom, mas fui ver e claro, é de um branco, hoje em dia é tudo com computadores e eles não estão para isso, entretidos que estão a estar na boa a assim.

Anúncios

7 thoughts on “combater o preconceito

  1. deves ser o único gajo que eu não conheço de quem aceito sugestões musicais, e raramente desiludem. este não é um desses casos, ele até tem boa pinta (não parece um bimbo como os outros, logo tem pinta), mas a música parece continuar a falar de miúdas e da própria música, que é uma coisa cuja persistente tendência no rap e spoken word sempre achei um bocado surreal. o vídeo está bom.

    uma pergunta arraçada de sugestão, conheces Koudlam? deves conhecer. senão procura, e procura bem.

    1. Preconceituoso. Não, pois é, pois é, depois é que prestei atenção à letra. MAs acho esta faixa em concreto interessante, assimo como outras que ouvi dele e um ep. Não conheço Koudlam. Vou checar amanhã. eu não conheço assim montes de música, o que revelo aqui normalmente coincide com descobertas que eu fiz no próprio dia ou anteriores e não em coisas que conheço há séculos e de vez em quando desço à terra e partilho com a plebe. É certo que varro muitas listas , muitas recomendações do género last fm similar artists, all music guide, etc. e de vez em quando encontro algo que me parece interessante. Mas levo baile de hipsters a sério 😀

      1. sim, também é assim que descubro música na era da interwebs, já te fiz um comentário no Tolan acerca da necessidade e dificuldade em arranjar filtros para o manancial de informação que a net proporciona. nesse aspecto mesmo que seja às pinguinhas sempre vais publicando vídeos que me surpreendem. tinha dois gurus quando era puto que me arranjavam cassetes dos the fall, gorilla biscuits, dinossaur jr., bettie serveert, sebadoh quando não havia internet e eu não faço ideia qual era a fonte deles. hoje tenho-os como amigos no facebook e continuam a gostar basicamente das mesmas coisas, não se adaptaram, parece-me, ou então era mesmo só aquilo que queriam descobrir na vida e descobriram-no na adolescência. que sorte.

        do Koudlam os vídeos também são bons. sugiro pelo menos o Alcoholics himn e o See you all (vê o vídeo do gang fight, é estranho). depois disso tens coisas boas, outras inaudíveis (para mim), mas em que reconheço qualidade.

    1. muito provavelmente… cena macaca. há dois dias lembrei-me de ir ouvir essa, sobretudo pelo vídeo e descobri o See you all e mais uma ou outra com alguma qualidade. os vídeos estão mesmo bons. olha, nesse caso o que eu queria mesmo dizer era obrigado por teres mencionado o Koudlam. dizes que é bom? vou procurar 😛

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s