os destroços

Léon por fim jurara não tornar a ver Ema; e censurava-se por não ter cumprido a sua palavra, pensando no que essa mulher poderia ainda trazer-lhe de embaraços e sermões, sem contar os gracejos dos colegas, que se divertiam com ele, de manhã, em volta do fogão. Além disso, ia ser promovido a primeiro escrevente: chegara o momento de encarar as coisas a sério. Por renunciou à flauta, aos sentimentos exaltados, à imaginação; – pois todo o burguês, no entusiasmo da juventude, que mais não seja por um dia, ou um minuto, se julgou capaz de imensas paixões, de altos empreendimentos. O mais medíocre dos libertinos sonhou possuir sultanas; cada notário traz em si os destroços de um poeta. – Gustave Flaubert, Madame Bovary

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s