eu e o mar

Apanhei dois sargos pequenos e um peixe coiso que não sei o que é, mas espero que a minha filha goste dele. Depois da ida ao oceanário e de ter vindo de lá com um Nemo de peluche, tenho a certeza que vai gostar de ver um espécime no prato. Mas feito esta pequena introdução, devo advertir que continuo sem perceber nada do mar e de peixes. Ontem, fustigado por um vento gelado que afugentou os peixes e os pescadores todos, equilibrado precariamente numa rocha irregular em frente a uma falésia, senti-me como um jovem de esquerda, à espera de um emprego com um canudo de Ciências da Comunicação na mão. Ele não veio, o peixe, e fui-me embora com princípios de hipotermia e indignado com o governo. Jantei no porto de Peniche, ouvi conversas, li muito. Depois fui para o meu bungalow para escrever, mas em vez de escrever, bebi duas cervejas e fui ler e dormir. E dormi muito. No outro dia fui pescar de novo com o sol a nascer. E quis a sorte que fosse Domingo de concurso de pesca e todos os pesqueiros estivessem repletos de profissionais. Estive quase duas horas sem apanhar nada. Chegou-se à minha beira um velhote com um colete do patrocínio e perguntou se podia pescar ao meu lado. Disse-lhe que sim. Entretanto fui fazendo sandes de queixo e presunto com a minha faca de pesca que uso à cintura. Quando a tenho à cintura, faço tudo com ela, corto o pão, o pacote de presunto, o queijo, aparo a linha, o camarão, a sardinha, tudo. Gostava de andar sempre com aquela faca à cintura, nem que fosse para abrir envelopes no escritório. O velho tirou uns 5 sargos em menos de uma hora. Às tantas desisti, arrumei as coisas e fiquei a vê-lo e a fazer-lhe perguntas. Já tive várias situações em que ninguém apanha nada, nem eu, nem os pros, mas esta foi um exemplo claro de que não sei nada. Ainda voltei à tarde, antes de ir para Lisboa. E não apanhei nada. Sou extremamente teimoso, mas não sei se é uma qualidade por aí além naquilo. Em vez de adaptar a minha técnica às condições, eu são tão teimoso que mantenho a minha técnica até as condições se ajustarem a mim. O certo é que não pensei uma só vez em quase 48h.

Anúncios

One thought on “eu e o mar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s