efeitos de passar dias com a minha filha em casa sem interagir com mais ninguém

Quando fico sozinho com a minha filha muito tempo e quando saio de casa finalmente e interajo com pessoas no mundo real, acontecem situações como:

Cortar o bife a uma colega com quem fui almoçar, porque ela estava com dificuldades, sem pedir licença sequer e ter dificuldades em controlar-me para não lhe passar um  guardanapo pela boca de 5 em 5 minutos e perguntar “queres água?”

Ter a sensação que as mulheres (os homens não) vão cair a qualquer momento quando estão a fazer uma coisa disparatada como descer escadas sozinhas ou andar de saltos altos na calçada portuguesa.

Dizer “isso não se faz!” com ar muito sério e o indicador levantado, quando discordo de uma atitude qualquer. No trânsito faço isso aos taxistas que quase me atropelam quando vou de bicicleta. “Isso não se faz… Ai ai ai o menino…”

Dar tapas ligeiras nas mãos em vez de “deixa isso quieto”. Estão a mexer no telemóvel num almoço ou jantar: “tap”. Isso e verificar a febre com a mão na testa das pessoas.

Explicar coisas com argumentos muito simples e exemplos. É frequente começar conversas com pessoas de esquerda com “Isso não se faz! ai ai ai Tu queres ver que sais do euro?” Ou então começar “olha, isto é uma moeda de 1 euro. Vês? É uma moeda. Com isto posso comprar pão para o gato Henrique.”

Ficar contente quando alguém consegue exprimir um desejo com nexo, coisas como “hoje apetece-me comer sardinhas” num restaurante. Se começam com as habituais hesitações nos menus dos restaurantes posso pegar eu na lista e “queres sardinhas? Ou queres salmão? Não? Sardinhas? Bacalhau? Dourada? Queres tudo? Não podes ter tudo, escolhe! Queres carne ou peixe? Olha que depois é para comeres tudo!”

Ver um gato em cima de um muro ou debaixo de um carro estacionado e interromper a conversa “… de modo que em 2025 as pensões deles iam chegar a 25% do PIB e iss… OLHA UM GATO! Gatoooo O que é que estás a fazer, gato? Anda! Anda pashiar!”

Anúncios

7 thoughts on “efeitos de passar dias com a minha filha em casa sem interagir com mais ninguém

  1. Eu não preciso de passar muito tempo com uma criança pequena, para interromper uma conversa porque vi um gato, ou patinhos com a mãe pata, ou no meio de um rebanho de ovelhas vejo uma cabra , etc. etc.
    Sou seguramente um caso mais grave…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s