debaixo das estrelas

Gostei muito dos testes que fiz nas fotos à noite, exposições longas, tripé, enquanto a minha filha dormia no bungallow. Tiramos a foto e demora tempo (20 segundos no caso desta), quando espreitamos não se vê praticamente nada e é um pouco por tentativa erro, pequenos ajustes, depois quando é finalmente “revelada” aparece uma imagem que não se via a olho nu e que tem tons um pouco surreais, pois as luzes dos candeeiros e janelas de casas espalham-se e dão geometrias e volumes diferentes da habitual luz solar.

Antes fomos os dois ver o por do sol a meio da baía do Baleal, fustigados por um vento gelado. Coitada da minha filha, sofreu bastante e nem mesmo a promessa de muitas bolachas a ajudou a encarar bem disposta o vento e o tédio de esperar pelo momento.

Lá chegados, o ângulo era mau, as  berlengas estavam atrás do cabo carvoeiro, a maré estava cheia, não havia nuvens nesse momento e o por do sol, já de si o cliché fotográfico nº1, não teve piada nenhuma.

Gostei mais do caminho de volta, pelas dunas, até à Lua.

Anúncios

3 thoughts on “debaixo das estrelas

  1. Não tarda nada estás a aventurar-te nas fotos nocturnas com rasto de luz dos faróis dos carros (é o clássico nº2 a seguir ao pôr do sol). Gostei sobretudo da segunda foto, pelas cores do entardecer.

  2. Um dia, a Julinha retaliará com a elegância devida, fotografando experimentalmente o papá durante a sesta, um fio de baba escorrendo até se fixar no queixo, a papada pendendo abaixo 😛

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s