grexin?

Os desenvolvimentos de ontem na crise grega estão a deixar-me confuso. Afinal o Grexit (agora que todos o dão como mais provável) pode não acontecer, desde que os tecnocratas franceses estão a trabalhar na proposta, ajudando os gregos. Isto é: tornou-se provável que Tsipras consiga, com este apoio técnico, apresentar um plano que no papel seja credível, algo que até agora era evidentemente impossível, fosse por incompetência, falta de vontade ou bloqueios ideológicos. E isto, nesta fase, seria pouco menos do que absurdo. A ajuda dos técnicos franceses pode mesmo levar ao paradoxo de haver na mesa medidas que, quantificadas e no papel, são suficientes e bem feitas, mas depois existe toda uma questão mais fundamental – a da confiança na capacidade do Syriza-ANEL de implementar tal pacote de medidas. E que não é quantificável. A decisão será objectivamente de expulsar ou não a Grécia por uma questão de confiança e isso teria danos muito maiores do que deixar os gregos continuar a apresentar propostas vagas, mal feitas ou abaixo das exigências dos credores.

Quanto à confiança, 4 coisas:

1) Tsipras referendou um pacote de 8-9b de austeridade. Ganhou um rotundo Não. A ser aprovado um 3º resgate implicará pelo menos 12b de cortes. Isso não só tornaria o referendo inútil como altamente prejudicial. Foi para quê? Se houver grexit, o referendo serviu para catalisar essa saída. Tem utilidade política pelo menos. Assim, o referendo acaba por destruir a própria credibilidade de Tsipras para implementar as reformas e destruir hipóteses de as passar no parlamento.

2) Aumentar impostos ou cortar pensões é a parte fácil. Segunda feira pode estar já implementada. Mas todos os governos gregos até agora falharam nas reformas estruturais e aquilo que estiver num papel hoje, por mais bem intencionado que seja e escrito por tecnocratas franceses, não sairá do papel em tempo útil. Teria de se contrariar o sentimento da população que ainda há dias votou contra isso.

3) Qualquer pacote de medidas válido contraria de forma extrema a ideologia de um partido que tem no seu ADN exactamente os pressupostos contrários a grande parte dessas reformas. É impossível. Não se pode forçar o Syriza a não ser o Syriza, redigindo um documento com medidas técnicas, todas de pendor liberal, e pedir-lhes para assinar. Mas, e se eles assinam? Teriam dinheiro já, depressa. Farão o que for preciso? Serão assim tão cínicos e calculistas que prefiram continuar a ganhar tempo e dinheiro para ir avançando no seu projecto? É credível uma colaboração reformista quando ainda há meses expulsavam membros da Troika ou continuavam a barrar-lhes o acesso a ministérios e a documentos? Vão agora, num passe de mágica, colaborar?

4) O FMI defende uma reestruturação de dívida para a Grécia. Tudo bem, mas cai em contradição ao dizer que não defende o mesmo para Portugal, Irlanda etc. Porquê? Porque não estamos com os bancos secos, de joelhos? Já em 2012 escrevi isto: as reestruturações não podem ser acordadas apenas quando um país está em estado de catástrofe. E não pode haver uma excepção para um país dentro do euro. Isso destruiria (mais do que um grexit) coesão europeia, a começar pelos países do Báltico, em vez de a fortalecer.

O ideal é um grexit controlado. Pode ser temporário ou não. Poderá vir outro governo, outro contexto económico e político. Se não existe mecanismo para tal, cria-se. Não implicaria a saída da UE ou uma desunião política. Ela pode continuar, aliás, penso que será mais fácil continuar se se eliminar o foco de tensão do Euro entre visões radicalmente opostas. Talvez possamos ver isso em França, em breve, com Le Pen.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s