o ressentimento

É curioso como certas ideias vão de mão dada com um ressentimento, um estado de amargura permanente que apura com a idade. Quem tem, roubou, quem ganha, vez batota. A referência, o próprio gosto e ideias que não passam de uma pequena horta onde apodrecem eternamente 3 ou 4 plantas raquíticas de umas merdas que leram e que fincaram raízes em solo demasiado impressionável e que sorvem tudo, sem nunca deixar oxigénio para germinarem sementes novas. O primeiro obstáculo intransponível são os próprios e este raciocínio que cola culpa primordial ao simples acto de querer, de tentar, de fazer, é como se fosse algo obsceno, apontam-lhe imediatamente o ridículo, o mau gosto, a ignorância, babam-se pelo falhanço alheio confirmador da sua superioridade. Preferem julgar o os outros que invariavelmente – invariavelmente – têm o oposto do que eles têm, a começar pelo dinheiro e a terminar em coisas como fama ou poder. Falo, como é evidente, dos pandas vermelhos.
grumpy

Anúncios

2 thoughts on “o ressentimento

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s