masculinismo

Há um preconceito que um pai solteiro sente e sofre muito com isso (ok não sofre nada) As representações do carinho e do amor paternal são quase sempre feitas pela “mamã” em tudo o que é livro infantil, peluche, história, boneco. O papá está sempre a martelar coisas, entretido com bricolage, a jogar à bola (com um filho) ou a chegar a casa de fato. A mãe é que cozinha e que deita a criança e dá banho. E se acho normal em contos e histórias antigas, acho um pouco esquisito que o façam no Baby TV por exemplo. E já estou mesmo a ver que o próximo salto é um casal de bichas flamejantes que adoptou uma criança. Tudo bem e acho bem, sou a favor, mas olhem também para uma revisão dos estereótipos heterossexuais. Hoje passou um tipo por mim com um bebé num baby carrier e eu achei-o um pouco ridículo e efeminado. Depois lembrei-me que fiz exactamente a mesma coisa e faço.

Tenho uma raposa de peluche e uma bebé raposa, mas raios me partam, aquela raposa é o Papá Raposa.

Outra coisa de que já falei, algumas mulheres portuguesas de mais de 50 anos são o inferno. A grande maioria que se cruza comigo é fofinha e educada, mas outras não. Já mandei umas 5 ou 6 das más à merda, só uma delas literalmente, as outras foram corridas a «meta-se na sua vida». Faço questão de ser desagradável, talvez de forma desproporcionada porque já estou mesmo a ver o cabresto a vir de longe com uma engatilhada, um sorrisinho de censura. Quando uma velha portuguesa destas vê um homem sozinho com uma criança, ela está sempre mal cuidada, mal vestida, o homem é sempre um irresponsável, não sabe tomar conta de uma criança e aquilo é tarefa de mulher, onde é que já se viu um homem com uma menina tão pequena. Há sempre frio a mais, está numa má posição no carrinho, devia vestir mais roupa, se chora no supermercado não é porque quer as uvas que temos no cesto mas que temos de pagar primeiro antes de lhe dar e ela tem de aprender a ter paciência e ouvir não conforme lhe explicamos. É nítido que é um hábito, esta crítica, e eu só posso ter pena das noras destes cabrestos.

Anúncios

5 thoughts on “masculinismo

  1. E uma mulher que já passou os 40 e continua a levar com lições de outras mulheres que, pelo simples facto de serem sido mães, se consideram melhores? E homens que acham o mesmo, que uma mulher só é completa se for mãe? E fazerem isso com ainda maior insistência quando se apercebem que és feliz à mesma sem teres tido filhos? A misoginia continua a imperar e o self righteousness (nao encontro tradução em português) é mato.
    Não te preocupes com as 50tonas.
    Continua a mandá-las à merda. Tu serás sempre Papá Raposa para a J. e isso é que importa. Filha dixit. 🙂

  2. E quando têm um filho, perguntam pelo segundo, para fazerem um “casalinho”? E quando já têm dois filhos, perguntam pelo terceiro para “vir uma menina”? Tal não é pressão de continuar a espécie que se metem na vida sexual das pessoas sem o pudor que noutras circunstâncias teriam. É a minha explicação.

  3. Consola-te: há um “Darth Vader and Daughter” (vê na Amazon). Não há nada equivalente para mães. Está muito mal. Resta-me a esperança de que o meu filho, que quer ser o próprio, um dia escreva o Darth Vader and Mother. Bom dia de Phoenix, AZ.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s