destruição de postos de trabalho

Gosto do termo “destruição de postos de trabalho” em contextos como “o governo destruiu 200 mil postos de trabalho”. Imagino sempre um patrão barrigudo e um trabalhador, pacatamente instalados numa rotina produtiva – não sem alguma tensão de interesses opostos regularmente aliviada por greves previsíveis como sexo num casamento – e o Governo a chegar com uma grua com uma daquelas bolas gigantes de  demolição com POLÍTICA DE DIREITA escrito a vermelho e barras de dinamite com NEOLIBERALISMO a branco. Um ofício colado na porta, a informar toda gente que aqueles postos de trabalho vão ser destruídos e o patrão e o trabalhador a afastarem-se, cabisbaixos, contemplando as implosão e as ruínas.

Claro que nem sempre é assim, às vezes é selectivo, há um aglomerado de postos de trabalho e são eliminados 3 ou 4 num conjunto de 20, 50.Aqui é a brigada PDD (Política De Direita) inspirada e treinada pelos GOE. Entram no escritório pela hora de almoço, dirigem-se rapidamente para o posto de trabalho alvo, martelo pneumático, motosserra, desfazem a cadeira, a secretária e retiram-se como ninjas. O trabalhador de regresso do almoço, meio sonolento, vê apenas uma pequena cratera e lixo no openspaece que lhe pertencia.  “oh não!”, exclamará, “destruíram o meu posto de trabalho”.

Outro termo curioso é a “criação de postos de trabalho”. É uma empresa pública que fabrica escritórios, mesas, cadeiras, fábricas, para todos os patrões que desejam investir capital em factor produtivos. É uma espécie de IKEA do patronato. Há uma secção de Restauração e Cafetaria, uma secção Escritório, uma secção Ensino, uma secção Metalurgia etc. todas com postos de trabalho modelo que os patrões, sempre acompanhados de um fiel trabalhador, avaliam e testam antes de comprar como se estivessem numa loja de brinquedos para hamsters. O governo anuncia, contente, a “criação de 400 mil postos de trabalho” consoante o que lhe sai da linha de montagem, mesmo que fique em armazém.

Anúncios

2 thoughts on “destruição de postos de trabalho

  1. Se fica em armazém mais tarde não gerará crescimento, será apenas uma variação de inventário.
    Fizeste-me rir. Isso é sempre bom (para mim).
    Adoro o Milton… Também olhar para ele me faz sentir all warm and fuzzy.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s