escravatura da imbecilidade

Pacheco Pereira neste texto consegue o expoente máximo do delírio! Pacheco puxa a lágrima ao sentimento do “ser-se português”, vejam só, o homem que há uns anos se insurgia contra as tradições académicas e outras coisas do tipo, agora puxa do argumento Scolari da bandeira lusitana da pátria contra o papão europeu, alemão, até corporiza no ‘neo-judeu’ Schauble. Encontra paralelo na situação da dívida portuguesa para com o colonialismo, como se os pobres povos colonizados tivessem pedido aos portugueses que os colonizassem, como se tivessem pedido também eles duas décadas de taxas de juro alemãs e selo do euro para terem carros e casas, segurança social, saúde, educação, estradas, pontes… Pacheo aponta uma suposta humilhação e conspiração num texto que mais pareço um fado amargurado. É isto, o fosso cava-se aqui, o Syriza bem surgiu com o repescar da questão nazi, com os actos simbólicos militares, patrióticos. Mostrem-me um patriota, alguém que tem na língua o “por uma política patriótica” para discutir temas como a sustentabilidade das contas do estado e eu mostro-vos um pequeno Chavez in the making. A conspiração e a opressão dos “outros”, dos “interesses” (sempre obscuros, o interesse do Zé Miguel em pedir um empréstimo a um banco a taxas de juro baixas, o interesse do reformado ter a sua reforma etc.  esse não é o “interesse”, suponho, viu-se na Grécia). Podia ser o judeu, é o alemão, é a UE, são os partidos todos menos o PCP e o BE (que instiga Costa a bater o pé à europa!), são todos menos o povo português e o Pacheco Pereira, eles (nós?) somos as vítimas. Qual é a alternativa de Pacheco? Mistério. Vamos supor que Pacheco é minimamente honesto intelectualmente, fazer um enorme esforço, e assumir que a alternativa é não-pagar a dívida e abandonar o euro. O Pacheco sabe o que isso significa? Na Grécia souberam.  Um filósofo grego (não me recordo do nome) explicou que foi essa a escolha dos gregos: acima de tudo quiseram ficar do lado do ocidente quando perante duas incertezas porque eles sabem o que está do outro lado. E nós também que vivemos em permanentes falências e caos e depois décadas de fascismo e opressão. Foi a Europa e os “Schaubles” e “Merkls” dos anos 80, também na altura vilipendiados pelos Pachecos (lembram-se das campanhas anti CEE quando Portugal aderiu?). É importante debater as consequências e pesar os prós e os contras de sair do euro e entrar em default em vez de resumir os argumentos à patacoada ressentida e lunática que se viu na Grécia ou a prometer ao povo a viragem das páginas. Para mim, a mais grave seria, por exemplo, António Costa fazer o orçamento que lhe apetecesse. Já bastou o que foi.

conselhos da Esquerda

Foi suspensa a conta “Conselhos do Costa” no twitter. Nada de novo, vem na linha da ditadura dos ofendidos e dos estúpidos, neste caso, da esquerda que se dá muito mal com o humor quando se vira para o próprio campo. Já tinha referido isso a propósito de Ricardo Araújo Pereira ou de João Quadros (este último não pode ser considerado humorista). Uma Cavaca a Presidenta pode estar online séculos, toda gente se ri. A conta Pedro o PM criada em 2012 com a foto de Passos Coelho esteve online sem nunca ter sido suspensa. A conta não violava os termos de serviço do Twitter (o único próximo poderia ser o impersonating another, mas é absurdo neste caso, como seria no Cavaca a Presidenta), visto que o Twitter permite paródias. Contudo, o Twitter suspende uma conta se receber denúncias. Enfim, vale o que vale, mas é demonstrativo.

 

 

o truque

O truque para fazer algo sentimental sem ser demasiado piroso é desfocar, meter ruído, sujar, procurar assimetrias, dissonâncias, mas sendo honesto, humilde, simples e exposto no essencial, sem as camadas de cinismo, erudição ou abstracção a que muitos recorrem por medo. Amanhã dou conselhos sobre como conservar maçã em saladas sem os bocados oxidarem e ficarem com mau aspecto.

ainda o until dawn

Probably, the women are less likeable because Until Dawn is an homage to horror tropes. But why are the women of slasher films less likeable? So we won’t be upset when they die horribly, most likely. A Florida State University study of ‘90s slasher films indicated that women are not only killed more frequently but “shown in terror for obviously longer periods of time than males.”

Until Dawn follows suit. Without giving anything away, there are only one, two, or three fatal decisions you can make for most of the characters. Meanwhile, ”Emily can die five different ways in seven different locations,” said Steve Goss, developer at Supermassive Games.

Uma feminista na Forbes jogou ao Until Dawn até conseguir salvar as 4 personagens femininas.

Eu ainda vou nas 2 e tal da manhã e já matei duas, uma sem querer (espatifou-se toda, falhei o botão do triângulo) e a outra mais ou menos sem querer (era um dilema tipo saw ou seven).

Acho que vou buscar um boneco de peluche ao quarto da minha filha.

sustos

Não hei de ter medo a correr em Sintra sozinho à noite, a jogar a coisas como o Until Dawn… Mas valeu a pena. É um daqueles jogos que já está plenamente em território do que poderia apelidar de cinema aumentado. De todos os géneros que existem no cinema, não tenho dúvidas que o horror é o que melhor se adapta ao videojogo, ao ponto de suplantar o resultado no cinema. Estamos a jogar sozinhos, numa sala escura, com headphones e voltamos a apanhar sustos a sério. O jogo Until Dawn pega no cliché dos slasher movies dos anos 80 e 90 com o típico grupo de jovens numa cabana na floresta e um piscopata à solta, mas é surpreendentemente denso. O argumento para além de muito bem escrito tem inúmeras possibilidades, algo que não sucede no cinema. Jogamos com várias personagens de forma alternada e as nossas decisões influenciam todo o resultado, quem vive, quem morre, como evoluem as relações entre eles etc. Pelo meio há umas consultas misteriosas com um psiquiatra (desempenhado por Peter Stormare) que acrescentam uma camada suplementar de “meta” pois o jogo é assumidamente “um jogo” e faz parte de um exercício que lembra o magistral Cabin in The Woods (filme). Outro ponto decisivo a favor do jogo é o cast e a capacidade que existe hoje em dia de captar as subtilezas das expressões faciais dos bons actores. Para além de Peter Stormare, realçar a revelação que é o Rami Malek. Não o conhecia, mas depois de algumas cenas tive de pesquisar. Pelos vistos é famoso pelo Mr Robot, recebeu nomeações para globos, recebeu um Critic’s Choice Award e o Actors Guild Award. Portanto, quando é um videojogo na ps4 a revelar-me um grande actor, estamos conversados. Já estamos nos domínios da arte.

Underneath where nobody finds me
all the brothers are gone
I can see the passing refugees
Flowing
They are flowing

Nobody saw me get it to my head
No, they can’t find me
Calling loud deep in the dark ravine
Flowing
Oh, I am flowing

Flowing back the village river bed
as the water flows underneath my head

All the brothers have
gone back overseas
girlies pass me by
I had the meanest heart
you’ve ever seen
Flowing
Oh I’m flowing

If I could crawl out of
this yawning earth
go find Suzy-Boo
we’d smoke gold in
the dreamland too
Flowing
We are flowing

Flowing by my river to the sea
by my mean old spirit in the trees

I turned my face to the sound above
no, they can’t see me
old bones are just food for the trees
Flowing
Oh, I’m flowing

There was lies and
fires in the hills
down the living streets
their smoke blows back my memories
Flowing
they are flowing

Flowing down river to the sea
flowing mean old bones in the stream

If these bones could
ever sail a while
for an extra mile
they’d flow just like
the river Nile
Flowing
They are flowin